Breaking News

parque linear itapicuru

local: Município de Itapicuru – BA
ano:
2013
área:  5.775,00 m2
autoria: 
George Almeida e Raffaella Grossi
colaboradores:
Estagiários Pedro Freitas, Thais Carmo, Gabriela Cordeiro

No município de Itapicuru, semiárido baiano, a 213 km da capital Salvador, a Avenida Antônio Carlos Magalhães liga referencialmente dois importantes pólos locais: a Praça da Bandeira, na qual se localiza a prefeitura da cidade, e o Balneário de águas termais, principal atrativo da região. Um novo traçado com vistas a seu alargamento, mediante a urbanização do seu canteiro central – com extensão de 1.125,00 metros- compreendia o objeto de contratação.

Dada a polaridade que envolve também a avenida como rota de locomoção não motorizada e caminho de pedestres, a preexistência de arborização e sobretudo a carência de espaços de lazer na cidade, identificamos sua potencialidade como vetor recreativo para população local, sendo então proposto um parque linear.

No contexto de uma enxuta disponibilidade orçamentária e da perspectiva de curto prazo para execução do objeto, o projeto é concebido pensando estruturas que condensem o partido arquitetônico urbanístico e que agreguem valor ao espaço urbano, atendendo ao programa proposto em torno de atividades de lazer, esportivas, repouso e mobilidade.

Dos estudos resultam pórticos em concreto pré-moldado que, por vezes e nos pontos repousantes ao longo do percurso do parque, se fazem de apoios a tramas de eucalipto tratado, compondo um elemento de cobertura com função de sombreamento, fundamental frente ao clima árido da região­. Aos pórticos, como vigas calhas, foi acoplada a iluminação artificial noturna.

A intervenção se fundamenta assim na concepção de um elemento arquitetônico que combina a função ao aspecto formal de projeto, setorizando os espaços e reforçando a configuração urbana linear do parque; incorpora a transição do uso temporal do espaço público (dia/noite) enfatizando a presença da arquitetura.

O controle do gabarito dos elementos inseridos constituiu uma preocupação, de modo a não criar conflito com o entorno predominantemente térreo e residencial.

Dentre os demais aspectos de projeto destacam-se:

- a garantia da unidade da pavimentação pedonal, disposta num padrão de desenho concebido pelo escritório, diluindo a transversalidade marcada pelos cruzamentos das faixas de rolamento de veículos;

- especificação de materiais e sistemas construtivos de baixo custo e rápida execução, mas que garantam a qualidade de acabamento do espaço construído e de preferência originários da região, como a madeira de eucalipto – utilizado nas pérgolas, decks e mobiliário urbano – e os pisos intertravados de concreto pré-fabricados;

- a acessibilidade com adoção de rampas e escadas vencendo os desníveis entre as vias;

- aproveitamento com relocação da arborização existente e novo plantio de espécies frutíferas ao longo do canteiro central.

Possibilitada sua implantação por etapas, o parque tem seu programa organizado em grupos de atividades isoladas e outras que se integram ao longo do percurso: zona de recreação infantil, academias de ginástica, ciclovia. Um marco de referência é definido apresentando o eixo do parque em cota elevada.


Nel comune di Itapicuru, nel semiarido baiano, a 213 km dalla capitale Salvador, l’avenida Antonio Carlos Magalhães unisce due importanti poli urbani locali: la piazza del Comune, Praça da Bandeira, e il centro balneare di acque termali, principale polo di attrazione della regione.

L’obiettivo di progetto era quello di ampliare lo spartitraffico centrale (1125m di lunghezza) pensando ad un nuovo spazio verde pedonale.

È stato proposto un parco lineare perché il percorso è molto frequentato da pedoni, sono già presenti molti alberi e soprattutto perché nella cittadina mancano altri spazi ricreativi.

Dato il basso livello di investimento e la necessità di una rapida realizzazione, il progetto ha proposto strutture che si ripetono durante il percorso valorizzando lo spazio urbano e rispondendo al programma funzionale che prevede zone di divertimento, sportive, di riposo e mobilità. Sono stati così proposti portici prefabbricati in cemento che, nei punti di sosta sostengono elementi di copertura in legno di eucalipto trattato, creando zone d’ombra necessarie in un clima così caldo.  L’illuminazione notturna è stata risolta collocando un binario all’interno delle travi dei portici.

Il concept di questo progetto è appunto questo elemento architettonico in cui funzione e aspetto formale si fondono. Il portico inoltre è anche elemento che separa le varie zone del parco, ne sottolinea l’aspetto lineare, marca la propria presenza anche di notte.

L’altezza dei portici è stata definita in modo da inserirsi rispettando il contesto urbano d’intorno con prevalenza di case a piano terra.

Tra i principali aspetti di progetto si evidenziano:

- unitarietà della pavimentazione del percorso pedonale, su disegno dello studio, per cui il motivo longitudinale si contrappone agli incroci trasversali per il passaggio delle auto; definizione di materiali e sistemi costruttivi a basso costo e di rapida posa, garantendo in ogni caso una buona qualità di finitura, preferenza per materiali locali come il legno di eucalipto (utilizzato nell’elemento di copertura, decks e arredo urbano) e pavimentazione in blocchi prefabbricati in cemento; l’accessibilità attraverso rampe e scale che risolvono il dislivello tra le due vie carrabili; mantenimento della vegetazione esistente e nuova piantumazione di piante da frutta.

Il programma funzionale del parco prevede zone di attività separate: area per bambini,  quella per ginnastica e la ciclovia. Tale separazione permette la realizzazione del parco in fasi successive.

All’ingresso del parco è stata pensata una piattaforma rialzata che permette la visione dell’intera struttura.

criação: TANTO
desenvolvimento: Diego Fox