Breaking News

vila do sossego

local: Salvador – BA
ano: 2017
área do terreno: 137,50m² (4.88×28.04)
autoria: George Almeida
colaboradores: Arqtº Marco Alves, Eng. Robson Racaes, Estagiário Rodrigo Bastos.
fotos: 360 arquitetura

Memorial descritivo encaminhado a Superintendência de controle e ordenamento do uso do solo do município para efeito de avaliação e aprovação de projeto para construção

Se por um lado buscamos interpretar as leis que balizam o ordenamento e uso do território da cidade a luz da coerência, por outro lado o local onde será implantada a edificação foi condicionante para o resultado obtido de projeto.

Ocupado por uma pequena edificação em ruínas, trata-se de um terreno estreito e comprido, em declive com relação ao nível da rua, e que tem em sua margem direita uma via local de acesso a comunidade na qual se insere, enquadrada no critério de zona de interesse social (ZEIS). Um entorno construído consolidado, adensado, com edificações vizinhas que se voltam para o terreno objeto de projeto – a edificação residencial nº 191 tem seu último pavimento com janelas rasgadas em praticamente toda a sua extensão e a edificação nº 187 com seu segundo pavimento com varandas.

Frente a esse contexto buscou-se, com base nos elementos que poderiam a priori ser limitantes, viabilizar a proposta de projeto:

- A escada lateral de acesso aos dois pavimentos superiores, com degraus de espelhos vazados, além de afastar a nova edificação do limite do vizinho evitando conflito em função da preexistência das esquadrias, permite ventilar e iluminar o subsolo, o lote na zona ao fundo, bem como os ambientes dos quartos.

- Os recuos no miolo do terreno, de um lado permite arejar o lote, visto que não apresenta edificações em imediato contato; e do outro, voltado para Travessa do Sossego, afasta da extensão onde o vizinho apresenta suas varandas. Busca-se desse modo beneficiar todas as partes e qualificar os espaços.

- Os recuos no miolo do terreno fragmentam o volume da nova edificação – em correspondência a três núcleos nos apartamentos, aquele das salas / das cozinhas e sanitários / quartos – trazendo-a para escala urbana local coerente;

- O gabarito da edificação foi controlado de modo a conservar aquele predominante do frontispício da via principal Padre Luiz Filgueiras;

- Adotou-se recuo frontal maior, seja para viabilizar as vagas de garagem exigidas por norma, seja para criar uma ambiência urbana melhor de acesso ao lote e a travessa, com unidade de materiais e redesenho da escadaria. Hoje, esta escadaria apresenta espelhos e pisos não condizentes com a acessibilidade. Essa intervenção por conclusão, com anuência da proprietária do terreno, pretende beneficiar de forma compartilhada o espaço público, tão necessário àquela realidade.

Este empreendimento não tem proposito de especulação imobiliária. Corresponde a realização de uma senhora com idade avançada de construir, com os recursos de toda uma trajetória de trabalho, unidades de moradia para si e para seus filhos. Importante ressaltar, que este projeto traz como referência a experiência construída do escritório Terra e Tuma Arquitetos Associados, em São Paulo, Vila Matilde (2015), que nos faz acreditar que a arquitetura, como trabalho técnico e intelectual, tem a capacidade de transformar, para melhor, o espaço da cidade e do habitar humano

criação: TANTO
desenvolvimento: Diego Fox